Abordagens pedagógicas inspiradoras na Educação Infantil

Abordagens pedagógicas inspiradoras na Educação Infantil

10/12/2021

share buttons


A Educação Infantil, desde 1996, com a publicação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN), configura-se como a primeira etapa da Educação Básica. As Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (DCNEI, Resolução CNE/CEB nº 5/2009), em seu Artigo 9º, definem que os eixos estruturantes das práticas pedagógicas da Educação Infantil são as interações e as brincadeiras experiências que proporcionam às crianças construir e apropriar-se de conhecimentos por meio de suas ações e interações com seus pares e também com os adultos, o que oportuniza aprendizagens, desenvolvimento e socialização. Além disso, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), assegura 6 direitos de aprendizagem e desenvolvimento que devem ser garantidos às crianças na Educação Infantil. Leia mais sobre eles no post Direitos de Aprendizagem e desenvolvimento na Educação Infantil.

E de que forma isso pode ser posto em prática?

A proposta pedagógica da escola norteará todo o processo educativo. Essa proposta deve estar alinhada aos princípios presentes em nossa legislação e também pode inspirar-se em abordagens pedagógicas distintas, desde que coerentes entre si e com as concepções de criança, infância e educação presentes em nossos documentos nacionais.

Conheça as nuances de algumas abordagens pedagógicas reconhecidas mundialmente e que têm inspirado as práticas em nosso país: 

Abordagem construtivista

O construtivismo é, atualmente, uma das linhas pedagógicas mais difundidas no país. Jean Piaget, biólogo e epistemólogo suíço, desenvolveu a teoria construtivista no início da década de 1920. Piaget defendia o papel ativo do sujeito na construção do conhecimento.

A abordagem construtivista preconiza um trabalho pedagógico que coloca o estudante como protagonista do processo de aprendizagem. O ensino é visto como algo dinâmico: o conhecimento é construído gradativamente a partir de conhecimentos anteriores, interações e ideias. O professor atua como mediador e orientador nesse processo, respeitando o tempo de amadurecimento de cada estudante e estimulando para que o aluno seja o protagonista do seu aprendizado.

Nas escolas que utilizam essa abordagem, o professor promove experiências que permitem às crianças levantar hipóteses, prever, manipular objetos, questionar, pesquisar, investigar, refletir, imaginar e inventar. Os professores buscam  fazer com que as necessidades de todos sejam atendidas de forma ativa e autônoma, enquanto os estudantes desenvolvem o pensamento crítico e tornam-se mais motivados a aprender. O centro pedagógico não está somente na mão do professor, mas, sobretudo, na mão das próprias crianças.

 

Abordagem Pikler 

Desenvolvida pela pediatra húngara Emmi Pikler, ela tem como um dos seus valores fundamentais o profundo respeito pela individualidade humana e o reconhecimento de que “toda criança é competente”. Tendo como foco principal os processos educativos nos 3 primeiros anos de vida, a abordagem Pikler tem como princípio fundamental a relação cuidador-bebê vista como suporte para a construção  do vínculo e como estruturante do desenvolvimento integral por meio da autonomia e do brincar livre.

A médica fundou o instituto Lóczy, em Budapeste, no ano de 1946, onde implementou sua abordagem com crianças órfãs da guerra ou separadas das suas famílias. Desde então, as bases da abordagem Pikler são praticadas por escolas e creches pela Europa e pelo mundo.

As escolas que se inspiram ou utilizam a abordagem Pikler trabalham os momentos de higiene e cuidados da rotina de forma bastante individualizada, de modo a promover o vínculo entre o cuidador e a criança, o que também propicia a segurança da criança para o próprio desenvolvimento. O movimento corporal tem um significado bastante importante: tanto nos momentos de brincar livre, quando os cuidadores estão presentes, mas sem interferir nas explorações espontâneas da criança, quanto ao respeitar o tempo de desenvolvimento da criança, o que resulta no desenvolvimento da coordenação motora e geração da autonomia.

 

Abordagem Educacional de Reggio Emilia

A abordagem é conhecida dessa forma devido ao trabalho do pedagogo Loris Malaguzzi na rede municipal de ensino da região de Reggio Emilia, na Itália. Ele esteve à frente da construção do projeto pedagógico, que prioriza o pensamento crítico, a curiosidade e a autoexpressão da criança,  que se tornou referência e fonte de inspiração para educadores do mundo todo.

Malaguzzi, que foi também influenciado por concepções construtivistas de pensadores como Jean Piaget, Lev Vygotsky e John Dewey, além dos italianos Maria Montessori, irmãs Agazzi e Bruno Ciari, utilizou-se de algumas metáforas na construção de seu pensamento pedagógico. A primeira delas é a das “cem linguagens das crianças”, em que defende que as crianças pequenas podem ser encorajadas a explorar o ambiente e se expressar por meio de diversos caminhos e de todas as suas linguagens, entre elas:  expressiva, comunicativa, simbólica, cognitiva, ética, metafórica, lógica, imaginativa e relacional. Outra metáfora é a de pedagogia da escuta, ao considerar que escutar é um modo ativo do adulto aprender a acolher o mundo da criança e oferecer as condições para que ela possa desenvolver-se e aprender também.

Nas escolas de Reggio Emilia, os educadores, que trabalham em duplas, permanecem com a mesma turma por três anos e utilizam-se de pequenos grupos em projetos de aprendizagem. Além deles e dos pais, a escola reggiana conta com outro importante elemento de aprendizagem: o ambiente, planejado para incentivar a interação entre pessoas. Os materiais também são muito valorizados como meio para as crianças agirem e construírem seus experimentos e conhecimentos. 

***

Para os educadores que desejam ler mais sobre Educação Infantil e conhecer diferentes práticas pedagógicas para sala de aula, trazemos a indicação de 5 livros sobre práticas pedagógicas na Educação Infantil. As abordagens envolvem desde as interações entre adultos e crianças nos momentos de cuidado e de atenção pessoal, até o planejamento intencional de tempos e espaços destinados ao brincar e às experiências de investigação.  Leia aqui.

**

Com o intuito de trazer contribuições para a prática dos educadores, reunimos, em um mesmo curso, distintas vertentes teórico-metodológicas consideradas, atualmente, fundamentais para uma Educação Infantil de qualidade. Em aulas com professores nacionais e internacionais que são referências em suas áreas, teceremos reflexões e relações entre essas vertentes. O curso constitui-se em uma jornada formativa, on-line e síncrona, destinada a profissionais que atuam na Educação Infantil e estudantes de Pedagogia. Seu objetivo é fomentar a qualificação dos contextos de desenvolvimento e aprendizagem na primeira infância, a partir da inspiração em abordagens pedagógicas reconhecidas mundialmente e de conhecimentos científicos na área da educação e do desenvolvimento infantil.

As inscrições para o curso “Planejar com e para as crianças: inspirações pedagógicas” estão abertas. Saiba mais e inscreva-se neste link!